• COMPARTILHE !

    Bookmark and Share
  • Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

    Junte-se a 1 outro seguidor

  • Twitter

  • RSS Blog Pessoal – Wellington Watanabe Filho

    • 5 dicas de empreendedores para unir inovação ao lucro 03/05/2011
      Olá PessoALL, Estava pesquisando um pouco sobre inovação e me deparei com um artigo da Ernst & Young que eu já havia replicado no passado. Lições que com certeza continuam válidas. ——————————- “Com base nos relatos dos empreendedores, a Ernst & Young destacou ainda as cinco lições para conectar inovação e lucro. Confira: 1. Não [&hellip […]
    • Leitura: Recomendação de leitura sobre Inovação 29/04/2011
      Olá PessoALL, Estava revendo alguns posts antigos de um outro blog e achei um artigo publicado por um amigo e professor, que tive o prazer de conhecer durante o MBA na FAAP, Maurício Andrade de Paula, sobre o tema inovação. Na mesma linha do Waldez Ludwig, o Maurício traz a tona a importância de começarmos [&hellip
    • Depoimento de José Galló, CEO da Renner, sobre empreendedorismo ! 26/04/2011
      Hi All, É sempre bom rever um vídeo com o depoimento do José Galló, CEO da Renner, sobre a importância e o que seria, na visão dele, o “empreendedorismo” e sua importância para o país. Com certeza uma visão que só acrescenta ao tema, com o peso da experiência de um profissional com a bagagem [&hellip
    • Smarter Planet – IBM por um planeta mais inteligente 19/04/2011
      Sempre inovando, a IBM mantém um programa com o objetivo de promover a sustentabilidade através da aplicação da tecnologia em todo o planeta, buscando idéias mais inteligentes e efitivas. A Smarter Planet é uma visão da IBM que visa um disseminar novas maneiras de interação tecnológicas para o progresso do planeta. Cada interação representa a chance [&he […]
    • [Artigo] Quantas opções você fornece ao seu cliente ? 15/04/2011
      Todo empreendedor deve ser um vendedor na maior parte do tempo, por isso, seguirão alguns posts sobre dicas de vendas e marketing para ajudá-los a se manter atualizados. Para os executivos de negócios, acreditam que, mesmo em outras áreas, o que importa para sua empresa é algo diferente de vendas ? Atualizem-se, mudem o discurso, [&hellip

Dicas para comprar tecnologia nas Pequenas e Médias Empresas

Estava pesquisando sobre esse assunto pra ver se era uma coisa já “batida” na Internet ou se seria de valor para os empresários que nos acompanham saber algumas dicas sobre este tema. Como não encontrei nada com o foco que queria, vamos às considerações.

Como sabem, somos uma empresa de tecnologia, então, vender produtos e serviços, avaliar necessidades reais, orientar os clientes em suas compras, é uma GRANDE parte do nosso trabalho. O que ocorre, e que normalmente brinco com nossos clientes no pré-venda de nossos serviços de assessoria e no pós-venda quando o fato ocorre, é que seremos nós, os fornecedores, que normalmente diremos: “Calma, será que sua empresa realmente precisa disso ?”.  Ninguém acredita até a primeira vez. Nós não mantemos um departamento de vendas de “ferragem” como chamamos, ou seja, o foco da Bug BusterS não é ganhar dinheiro com venda de hardware e software, como vendemos consultoria em gestão de TI, não podemos ter um conflito de interesse e “empurrar” produtos aos clientes se, de fato, não precisarem deles.

Alguns pontos que trago aos nossos clientes para terem certeza de sua compra e para definir qual o melhor produto para seus negócios.

. Será que o produto que quer comprar é o mais necessário para o momento ou é uma compra por impulso ?

Com essa questão, remetemos o cliente a avaliar o seu PETI (Planejamento Estratégico de TI). Como um princípio básico da administração, é importante manter e consultar seu planejamento na tomada de decisões. O PETI mantém uma análise aprofundada de todo o parque tecnológico da empresa, apontando todas as necessidades de TI, desde as mais básicas como upgrades em algumas estações, até a implementação de uma extranet para oferecer aos vendedores externos acesso às informações de negócio, ratificando o objetivo do negócio de aumentar o marketing share naquele ano.

Em suma, é importante consultar sua lista de necessidades primárias para fugir de compras por impulso e investir naquilo que vai dar os melhores resultados para a empresa.

. Se é importante e necessária a compra, quais os benefícios reais que essa solução deve trazer e como irá medir os resultados ?

Neste quesito, trazemos a reflexão sobre quais os benefícios a solução deverá trazer ao negócios. Essa reflexão é importante para definirmos como vamos medir, o que e a quem deveremos cobrar para que o investimento traga o retorno esperado para o negócio. Se escolheu investir em uma solução de segurança, por exemplo, deverá saber o quanto sua empresa se beneficiará para conseguir medir o retorno sobre este investimento e é importante saber como irá medir, para que tome as medidas complementares que garantirão o sucesso desta nova solução.

O que mais vemos, é o empresário fazer um investimento que julga necessário, mas os responsáveis pela implementação não possuem visão do negócio suficientes para alertar e assessorar o cliente nos passos adicionais que deverão ser dados para que a solução proposta traga de fato benefícios para a empresa. Como no exemplo, uma solução de segurança deve cobrir itens como Termo de Uso de Recursos Tecnológicos para instruir os usuários sobre o uso da TI, o que pode ou não pode ser feito, levantamento sobre quais recursos serão ou não liberados, para quais usuários, etc. É mais fácil dizer pro cliente que ele precisa de uma Firewall, que irá “pegar” os usuários que estão navegando em orkut, facebook, etc, ao invés de orientá-lo que os primeiros passos são para aumentar a maturidade da empresa sobre como ela utiliza os recursos disponíveis.

. Qual a melhor solução para as necessidades da empresa ?

Uma vez sabendo que o investimento é necessário, quais são e como iremos medir os resultados e tendo analisado todas as ações adicionais que a empresa deverá tomar para garantir o retorno sobre o investimento, chega a hora de escolher a solução. Marca ? Características ? Suporte ? Garantia ? Preço ? O famoso, “meu amigo disse que é bom” ? Ou aquele “sei que meu concorrente utiliza”  ? Que tal um pouco de tudo ?

Investimento: A escolha da melhor solução está baseada em um conjunto de vários fatores. Se sabemos como vamos medir, temos uma idéia de qual o retorno que a empresa terá, e isso torna possível uma visão da capacidade de retorno financeiro desta solução. Por exemplo, se uma solução de controle de Internet (segurança) trouxer 15% de produtividade para o escritório, é possível saber quanto isso significa em valores para a empresa e é com esses números, somados à capacidade de fluxo de caixa da empresa, que deverá ser tomada a decisão de investimento.

MARCA, SERVIÇOS, GARANTIA, SUPORTE, entre outros itens serão tratados nos próximos artigos. Aguardem !

Abraços e ótima semana a todos.

Enjoy !

Wellington Watanabe Filho

——————————————

Perguntas, comentários, críticas, opiniões, qualquer coisa:

ENTRE EM CONTATO: consultor@bugbusters.com.br

ou

11 5572-0044

[Video] Tecnologia, trabalho remoto e a produtividade

Olá PessoALL,

Replico neste post um vídeo que rolou recentemente na Web sobre como a tecnologia pode/deveria estar envolvida na sua empresa para auxiliar a todos com as facilidades da comunicação e do trabalho em equipe em qualquer lugar. Se os recursos tecnológicos estiverem bem investidos e implementados, como deveriam, sua empresa deveria ter mobilidade, proporcionar ferramentas para estimular o trabalho em equipe, a integração de todos e promovendo a inovação, permitindo, por exemplo, que alguns de seus colaboradores trabalhem de casa ou de qualquer outro lugar, tenham acesso às informações do seu negócio para tomada de decisões importantes, potencializar a captação de clientes, entre outras coisas.

Assista, Reflita, Desafie-se !

Sua empresa tem a tecnologia da maneira que sua empresa precisa ?

Estamos à disposição para ajudá-lo a analisar como sua empresa utiliza a tecnologia e o que pode ser melhorado.

11 5572-0044

Aguardo seu contato ! Mude ! Arrisque-se ! O que tem a perder em bater um papo conosco ?

[Artigo] Pequeno empresário usa Web para melhorar gestão

Mobilidade

Hi All,

Nós temos falado há muito tempo sobre isso a nossos clientes, segue um artigo para corroborar com a idéia de que a tecnologia em favor dos negócios não é mais apenas para as maiores corporações. Existem diversas aplicações desenvolvidas para as pequenas e médias empresas que visam dar maior agilidade ao negócio, informações ao nível estratégico, flexibilidade para crescerem entre outras vantagens importantes aos empresários.

Tentarei separar algumas aplicações que visam dar essas vantagens aos pequenos e médios negócios e sobretudo, gratuitamente ou, com o menor custo possível.

Enjoy!

——————————————————

Pequenos empresários estão aproveitando as facilidades da internet para ganhar tempo e melhorar a gestão de seus negócios. O acesso remoto a programas, documentos e serviços, de qualquer computador ou telefone conectado à internet, parte de um movimento batizado de “cloud computing” (computação em nuvem), já está sendo adotado por empresas de menor porte.

O aumento na oferta de softwares de gestão empresarial com plataformas online, nos últimos anos, estimulou o movimento.

“É cada vez maior a necessidade de se estar conectado ao negócio, sem estar fisicamente ligado a ele”, diz o gerente de varejo do UOL Host, Thiago Rigonatti. No caso dos pequenos empreendedores, que acumulam funções na administração do negócio e acabam juntando o tempo dedicado à empresa com as horas livres, a busca por conectividade é ainda maior. “Às vezes, ele tem uma ótima ideia no fim de semana ou precisa resolver um problema no meio de uma festa de família. As ferramentas de mobilidade o ajudam a administrar esse tempo.”

Grandes empresas de tecnologia, como Microsoft e IBM, e também as pequenas empresas do setor têm observado essa demanda dos pequenos e investido em novas soluções. Já há no mercado diferentes softwares de gestão empresarial que podem ser acessados via web. “Isso traz flexibilidade e agilidade”, diz Eduardo Nistal, diretor da TI Educacional, que desenvolveu um programa que inclui funções de controle financeiro, de estoque e gestão de relacionamento com o cliente (CRM). “O pequeno empresário pode verificar e atualizar essas informações de qualquer lugar em que esteja, por meio de seu celular com acesso à internet.”

Com essa ideia, a empresa Samba Business criou um serviço de administração de websites para atender às empresas menores. O fundador André Fernandes explica que a plataforma permite que os empresários criem e atualizem conteúdo a qualquer momento. A ferramenta também possibilita ao empreendedor administrar intranet, correio e comércio eletrônico dentro do site. “Ele tem controle total sobre o conteúdo, eliminando intermediários, o que traz agilidade e queda de custos.”

Segundo Rigonatti, os fabricantes acordaram para as necessidades desse segmento. “Eles começam a entender que o empreendedor não precisa só do calendário, mas também acessar seu blog, fazer alteração no site ou procurar um histórico do cliente”, comenta.

Outro benefício é em relação a custos, já que o dono do negócio não precisa se preocupar com aquisição e manutenção de uma plataforma (servidor) ou aquisição de softwares. “Em vez de comprar uma licença, ele contrata um serviço, pagando mensalmente”, diz o consultor.

A empresária Simone Vieira, dona de um serviço de buffet de festas infantis, foi atraída por essa vantagem. Há alguns meses, trocou as planilhas de Excel por um software de gestão que permite o acesso remoto. “Diminuiu muito o trabalho e, com isso, ganho tempo para pensar mais na estratégia da empresa.”Ao mesmo tempo, economizou. “Não precisei investir em equipamentos e backups.”

Fonte: Agência do Estado

Hi All,

Nós temos falado há muito tempo sobre isso a nossos clientes, segue um artigo para corroborar com a idéia de que a tecnologia em favor dos negócios não é mais apenas para as maiores corporações. Existem diversas aplicações desenvolvidas para as pequenas e médias empresas que visam dar maior agilidade ao negócio, informações ao nível estratégico, flexibilidade para crescerem entre outras vantagens importantes aos empresários.

Tentarei separar algumas aplicações que visam dar essas vantagens aos pequenos e médios negócios e sobretudo, gratuitamente ou, com o menor custo possível.

Enjoy!

——————————————————

Pequenos empresários estão aproveitando as facilidades da internet para ganhar tempo e melhorar a gestão de seus negócios. O acesso remoto a programas, documentos e serviços, de qualquer computador ou telefone conectado à internet, parte de um movimento batizado de “cloud computing” (computação em nuvem), já está sendo adotado por empresas de menor porte.

O aumento na oferta de softwares de gestão empresarial com plataformas online, nos últimos anos, estimulou o movimento.

“É cada vez maior a necessidade de se estar conectado ao negócio, sem estar fisicamente ligado a ele”, diz o gerente de varejo do UOL Host, Thiago Rigonatti. No caso dos pequenos empreendedores, que acumulam funções na administração do negócio e acabam juntando o tempo dedicado à empresa com as horas livres, a busca por conectividade é ainda maior. “Às vezes, ele tem uma ótima ideia no fim de semana ou precisa resolver um problema no meio de uma festa de família. As ferramentas de mobilidade o ajudam a administrar esse tempo.”

Grandes empresas de tecnologia, como Microsoft e IBM, e também as pequenas empresas do setor têm observado essa demanda dos pequenos e investido em novas soluções. Já há no mercado diferentes softwares de gestão empresarial que podem ser acessados via web. “Isso traz flexibilidade e agilidade”, diz Eduardo Nistal, diretor da TI Educacional, que desenvolveu um programa que inclui funções de controle financeiro, de estoque e gestão de relacionamento com o cliente (CRM). “O pequeno empresário pode verificar e atualizar essas informações de qualquer lugar em que esteja, por meio de seu celular com acesso à internet.”

Com essa ideia, a empresa Samba Business criou um serviço de administração de websites para atender às empresas menores. O fundador André Fernandes explica que a plataforma permite que os empresários criem e atualizem conteúdo a qualquer momento. A ferramenta também possibilita ao empreendedor administrar intranet, correio e comércio eletrônico dentro do site. “Ele tem controle total sobre o conteúdo, eliminando intermediários, o que traz agilidade e queda de custos.”

Segundo Rigonatti, os fabricantes acordaram para as necessidades desse segmento. “Eles começam a entender que o empreendedor não precisa só do calendário, mas também acessar seu blog, fazer alteração no site ou procurar um histórico do cliente”, comenta.

Outro benefício é em relação a custos, já que o dono do negócio não precisa se preocupar com aquisição e manutenção de uma plataforma (servidor) ou aquisição de softwares. “Em vez de comprar uma licença, ele contrata um serviço, pagando mensalmente”, diz o consultor.

A empresária Simone Vieira, dona de um serviço de buffet de festas infantis, foi atraída por essa vantagem. Há alguns meses, trocou as planilhas de Excel por um software de gestão que permite o acesso remoto. “Diminuiu muito o trabalho e, com isso, ganho tempo para pensar mais na estratégia da empresa.”Ao mesmo tempo, economizou. “Não precisei investir em equipamentos e backups.”

Fonte: Agência do Estado

Outsourcing: A nova tendência mundial.

Hey All,

Um artigo sobre Outsourcing escrito por Marcello Bosio (Consulting & Services Director da Hitachi Data Systems) no boletim da ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software).

Enjoy

——————————————————————-

Antigamente, ser um especialista era ter um enorme valor agregado para as empresas. No entanto, nos dias de hoje, com a evolução dos modelos de gestão, o volume de informação e a velocidade das atualizações tecnológicas, as empresas passaram a buscar profissionais com um perfil mais generalista e que por meio deste conhecimento consigam detectar e resolver problemas com a ajuda da sua rede de fornecedores e parceiros.

No cenário atual, quando o desafio de reduzir os custos é enorme, gestores vêm sendo pressionados a cada vez mais eliminarem custos fixos, reduzirem equipes e ainda mantê-la motivada para que tenha melhor desempenho, realizando todo o trabalho em menos tempo e com maior eficiência.

E é dentro desse contexto que surge o que chamamos de serviços gerenciados. Essa estratégia, considerada tendência mundial, apresentou-se como uma saída às empresas, ajudando executivos a endereçarem algumas de suas principais preocupações: a redução de custos fixos e constantes investimentos de suas equipes com atualizações tecnológicas. Mas além desses pontos, há alguns outros fatores que precisam ser levados em consideração:

• Aumento da demanda do negócio: as constantes auditorias exigem que as informações estejam sempre acessíveis, tendo maior disponibilidade e desempenho;

• Ambientes mais complexos: os novos modelos de negócios aumentam a exigência dos SLAs & SLOs;

• O peso dos sistemas legado: muitas empresas sofrem fusões e/ou ao longo dos anos não realizam atualização tecnológica de seu parque instalado. Com isso, ainda hoje têm gastos com a manutenção do ambiente antigo;

• Assegurar metodologias consistentes na prestação de serviços: as ferramentas que a empresa possui permitem rápida, rigorosa e precisa implementação de serviços, minimizando interrupções em seu meio de produção e reduzindo os riscos provocados por erro humano;

• Baixa utilização: desperdício de recursos de TI que poderiam ser alocados para outras necessidades.

Além disso, o provedor de serviços, por meio de sua experiência em diferentes ambientes, ajuda a empresa a incorporar novas práticas e aperfeiçoar as já existentes, dividindo seu conhecimento.

Existem inúmeras oportunidades e serviços inovadores que podem permitir às organizações retomarem seu nível de agilidade e competitividade, sem incidir em custos fixos e sem exigir da equipe tarefas extras. E para uma boa escolha da empresa prestadora de serviço é importante prestar atenção no portfólio da companhia contratada, pois seus serviços e treinamentos devem agregar valor para o negócio, acima de qualquer modismo, além de ter certeza do conhecimento e se a mesma possui o foco em determinado segmento, o que normalmente garante melhores resultados por meio das melhores práticas empregadas na área de atuação.

Fonte: Boletim ABES

15 softwares gratuitos para Gerenciamento de Projetos

No e-News do PMI Capítulo São Paulo (Setembro), veio uma lista MUITO boa de 11 softwares gratuitos disponíveis para ajudar no Gerenciamento de Projetos. Aproveitei essas 11 indicações publicada no blog “wwhat’s new” por Juan Diego Polo e acrescentei mais quatro ferramentas que já utilizei ou me deparei no mercado com clientes e parceiros utilizando e que, na minha opinião, não podem deixar de serem testadas antes de você escolher sua ferramenta de apoio no gerenciamento de projetos e administração do tempo.

Juan tem razão quando diz: “Com crise ou sem crise toda empresa que desenvolve projetos precisa de um programa que ajude a gerenciar os prazos e tarefas de cada um, melhorando a comunicação dos membros da equipe. Se o programa é gratuito e pode ser adaptado às necessidades particulares de cada um, melhor ainda. Aqui deixo uma lista das mais populares, todas elas open source, com o código liberado para seu uso e modificação.”

Se puderem, mandem seus comentários sobre o software que escolher ou os testes que fizer.

Enjoy !

—————————————————

Software para Project Management

[ Mercado TI ] Empresa de pesquisa prevê crescimento do mercado de TI na América Latina

“Restrições de mercado serão um catalisador para adoção de tecnologias

O IDC Latin America Predictions 2009 é um esforço para descobrir e apresentar os principais pontos de inflexão do mercado regional de TI dentro de um contexto. A empresa desenvolveu pesquisas que revelam que a América Latina continuará sendo um dos mercados de TI com mais rápido crescimento em 2009, embora em ritmo mais lento do que em 2008.

Com a colaboração de mais de 100 analistas em toda a América Latina, a equipe regional da IDC reuniu os fatos e as forças motrizes que, na sua opinião, irão transformar o mercado durante 2009.

De acordo com o relatório, em momentos de estresse, como o verificado no atual cenário econômico mundial, novas dinâmicas são criadas, surgem novos comportamentos e algumas mudanças se aceleram. O documento avalia que “durante 2009, a América Latina vai ver que o choque de otimismo com pessimismo traz novos desafios e oportunidades tanto para os fornecedores quanto para os utilizadores”.

O relatório deixa claro que estes tempos difíceis irão colocar pressão sobre novas tendências, causando pontos de inflexão do mercado de TI. É esse o cenário que revela a maior oportunidade para o QlikView, já que, na avaliação da IDC, a TI deixará de ser simplesmente uma ferramenta para gerir informação e ganhará o estatus de ferramenta para gerir negócios mais eficientes e rentáveis. “As restrições orçamentárias serão um catalisador para a adoção de tecnologia em 2009”, é o que diz o documento da IDC em uma das suas 10 principais previsões para o mercado de TI em 2009.

Confira no arquivo abaixo a íntegra do documento.”

Download: IDC LA Predictions – 2009

———————————————————————–

Esta notícia foi divulgada no site da distribuidora oficial  (Master Reseller) da QlikTech Inc. para a ferramenta QlikView, Toccato Tecnologia.

A Bug BusterS é parceira da Toccato Tecnologia para o estado de São Paulo. Mais informações sobre a ferramenta de inteligência de negócios (Business Inteligence – BI) QlikView, entre contato com um de nossos consultores.

[ IT Management ] IT&T Cost Assessment

Uma nova ferramenta desenvolvida pela Bug BusterS ajuda seus clientes a identificarem, controlarem e diminuirem custos relacionados à TIC (Tecnologia das Informações e Comunicações). Através de um sistema simples e eficiente, os consultores da Bug BusterS estão levantando todos os custos de seus clientes e ajudando com eficiência e eficácia, na redução de custos e otimização dos recursos disponíveis.

Existe uma grande diferença em empresas que possuem um gerenciamento adequado da TIC, suportados por profissionais especializados em tecnologia e em negócio e que podem realmente implementar a tão falada Governança de TI e as empresas que contratam pela indicação de alguém que conhece um excelente “técnico” com um grande conhecimento na área.

Gerenciar a TIC é basicamente quando o gestor se preocupa em adquirir e implementar as soluções que são, muitas vezes, levantadas ou solicitadas pelos próprios usuários que se mantém informados sobre novas soluções, mantendo boa disponibilidade, mínimo de segurança e coordenando os projetos e parceiros seguindo as orientações que um bom coordenador de projetos teria com relação aos custos, recursos, prazos, qualidades entre outros. A governança de TIC vai bem além disso, deve garantir que os investimentos são feitos de maneira conjunta com o planejamento estratégico da empresa. Governar a TIC é não simplesmente aguardar que as áreas de negócio gerem necessidades ou solicitações, mas se envolver com os processos e necessidades da empresa de maneira ativa e buscar dentro de cada processo ou objetivo individual das áreas, como a TIC poderá suportar cada necessidade, de maneira que elas alcancem seus objetivos e a empresa obtenha o sucesso almejado. Esse é o conceito de ser uma área de suporte e não uma área de atividade fim, mas é essa também a forma como a TIC conseguirá potencializar seu verdadeiro valor e colaborar com o sucesso da organização.

A maioria das grandes empresas já aprenderam o potencial e o real papel da TIC, porém, as médias e pequenas empresas ainda a vêem como uma área de custos e perdem a possibilidade de, abrindo os olhos para o grande potencial da TIC, gerar diferenciais competitivos sustentáveis e sair na frente da concorrência. As médias e pequenas empresas, pela visão de custos, ainda adotam profissionais técnicos, e sem a correta formação para entendimento do negócio, para dizerem como devem conduzir a área de tecnologia. Dessa forma, perdem a possibilidade de ouvirem um gerente de TIC e acabam gerando custos desnecessários ou não investindo onde o retorno é certo e lucrativo, acabam cobrindo um buraco e não tendo a tranquilidade de que suas informações estão seguras.

É para atender a esta necessidade, da pequena e média empresa poderem contar com gestores qualificados para direcionarem os investimentos em TIC de maneira adequada, sem absorver um custo interno de um profissional deste calibre, que a Bug BusterS criou o Gi2 (Gestão Inteligente da Informação), onde gestores especializados em diversos segmentos, poderão auxiliar a empresa a conduzir adequadamente a TIC de maneira que a mesma suporte as necessidades da empresa e propiciem, além de diferenciais competitivos, tranquilidade e segurança.

Ótima Semana.